paiol
de Pixel

Seleção de pixels em movimento

Rapadura - Saberes Tradicionais de Milho Verde
CANTA E CONTA - PITADAS DE HISTÓRIA #1 - A VACA E A LEBRE
Clipe Canção pra mim - Coletivo ANA
Somos Todos Sacys
Videoclipe Para seu amor, Rosa - Irene Bertachini
Saberes do Vale - Brincar
Toques de Sino - Saberes Tradicionais de Milho Verde
Saberes do Vale - Comer
Carro de Boi

No verde do canavial o amanhecer, os raios de sol permitem que o trabalho comece, o facão corta a cana de açúcar que irá adoçar o café n a comunidade Quilombola do Baú em Milho Verde MG.

As mãos habilidosas guardam a alquimia, as lembranças do fazer que ensinam as futuras gerações, ao passar das horas a transformação da imensidão verde em um dos produtos coloniais que chegam aos nossos dias.

Rapadura - Saberes Tradicionais de Milho Verde, 2013, 23 min. Direção/fotografia/edição: Rudá K. Andrade. Produção: Bruno Emiliano Assistente de produção: Liliane Brignol Roteiro: Vitor Kawakami Jovens Aprendizes: Aparecida Santos, Humberto Santos, Nelson Silva, Núbia Mota Direção musical: Guilherme Carvalho, Gustavo Melo, Welington Pereira (Denti) Finalização: Elisa Marques Realização: Instituto Milho Verde

RAPADURA
SABERES TRADICIONAIS DE MILHO VERDE

A Confraria Produções apresenta o documentário que mostra a vida, paixão e morte do mito na tradição oral e suas re-significações nos dias atuais. Sendo este mito a alegoria de nossa cultura antropofágica, a relevância para o debate em torno do Sacy se faz pela motivação de pensar e redescobrir o Brasil.

Você já viu um Sacy? Acredita em Sacy? Como é o Sacy?

Por dois anos, os diretores desse documentário percorreram o interior de São Paulo formulando essas perguntas aos paulistas. Desse passeio encantado originou-se um filme lúdico e poético, tipicamente brasileiro.

SOMOS TODOS SACYS

Somos Todos Sacys, 2005, 55 min. Direção e roteiro: Rudá K. Andrade e Sylvio do Amaral Rocha / Montagem: Felippe Brauer, Rudá K. Andrade e Sylvio do Amaral Rocha / Animação: Érica Valle / Arte: Marcelo Comparini / Edição e Finalização: Felippe Brauer/ Locução: Tereza Freire / Produção de Campo: Jaime Soares / Músicas de: Batuque de Umbigada interpretado por Batuque de Tietê, Capivari e Piracicaba - Anecide Toledo, Duo Portal, Grupo Cachoeira!, Ivan Vilela, Kiko Carneiro, Gustavo Barbosa e Quarteto Perêrê Co-produção: STV

O reconhecimento do toque é a chave para que os moradores participem do momento de comunhão que traz a melodia do sino. Os diferentes toques dos sinos guardam os acontecimentos, avisam sobre uma conduta social, que envolve solidariedade, confraternização, alegria. Envoltos no compartir os moradores se encontram e comungam do saber de decifrar os toques dos sinos.

TOQUES DE SINO
SABERES TRADICIONAIS DE MILHO VERDE

Tocou o sino? O anuncio de algo que acontece na comunidade. O Silêncio e as badaladas fazem uma melodia para dar as noticias. Os diferentes toques comunicam os acontecimentos e chamam os fiéis para a missa. Os toques dos sinos têm diferentes origens e usos no decorrer da História, mas até hoje, nos distritos da cidade de Serro, se mantêm presentes como elemento de aviso.

Toques de Sino - Saberes Tradicionais de Milho Verde, 2013, 27 min. Direção/fotografia/edição: Rudá K. Andrade. Produção: Bruno Emiliano Assistente de produção: Liliane Brignol Roteiro: Vitor Kawakami Jovens Aprendizes: Aparecida Santos, Humberto Santos, Nelson Silva, Núbia Mota Direção musical: Guilherme Carvalho, Gustavo Melo, Welington Pereira (Denti) Finalização: Elisa Marques Realização: Instituto Milho Verde

PAI VELHO
ANTÔNIO JUSTINO RIBEIRO

O documentário traz as lembranças e a história de vida de Antônio Justino Ribeiro, o Pai Velho (1889-1961). Nascido na zona rural de São João del Rei, foi músico e professor, regeu bandas no Emboabas (antigo São Francisco do Onça) e em Santa Bárbara do Tugúrio, além de lecionar música, português e matemática em várias fazendas dessa região. Faleceu em 1961 e foi enterrado em Barroso, Minas Gerais.

O resgate de sua obra e memória é resultado de pesquisa realizada pelo bisneto de Pai Velho, Sílvio Neves. Projeto que desdobrou na publicação inédita de vinte peças para violão escritas na década de 1920, no livro com uma memória inventada escrito por Silvio Neves, além deste documentário.

Pai Velho, 2020, 27 min. Direção/fotografia/montegem: Rudá K. Andrade. Musicas: Antônio Justino Ribeiro. Violão e gravação: Marcelo Fallahin. Ilustração: Aulus de Paula. Realização: Sempre-viva editorial

Videoclipe da música Para seu amor, Rosa, de Irene Bertachini e Marco Anhapoci. 

Realização Primata Filmes; Direção: Luis Henrique Evo e Rudá K. Andrade; Fotografia: Luis Henrique Evo; Montagem: Rudá K. Andrade. Roteiro Irene Bertachini, Geison Almeida e Primata Filmes Assistente de camera Henrique Bocelli Produção Ana Beatriz Pereira, Juçara Valentino e Irene Colaboradores Nath Carvalho do Centro Cultural Urucuia, Henrique Bocceli pelo espaço no coração, Houssan pelas luzes, Beto Antunes pelo chapéu, Gabriel Goulart (Bidu) e Marina Gomes pela hospedagem, Michelle Andreazzi pelo vestido e Carla Gomides pela medalhinha. Atores principais Geison Almeida João das Neves Irene Bertachini.

COMER
SABERES DO VALE

A culinária e os hábitos alimentares fazem parte da história de toda cultura. As receitas carregam consigo lembranças e heranças transmitidas de geração em geração. Os ingredientes, modos de preparo, de consumo e as formas de apresentação dos pratos típicos são fortes expressões da cultura popular do Vale do Paraíba.

Documentar, divulgar e estimular saberes e fazeres do Vale do Paraíba: esse foi o objetivo do projeto Saberes do Vale: Cultura e Educação no Vale do Paraíba, iniciativa da Fotocontexto e da Tomara! Educação e Cultura, que reúne vídeos, fotos e depoimentos sobre diferentes expressões culturais da região. O projeto contou com incentivo do Proac e patrocínio da EDP Brasil.

Comer: Saberes do Vale, 2017. Concepção e execução: fotocontexto - foto vídeo convergência / tomara! educação e cultura. Direção: Eduardo Barcellos / Rudá K. Andrade; fotografia:  Eduardo Barcellos, Daniel Tancredi, Gui Tamburus; Pesquisa: Rudá K. Andrade / Guilherme Lopes; Edição: Matias Lancetti; Assistente de edição: Paola Penna; Trilha sonora: Caco Farias; Produção: Zeca Ros / Raul Cavalcanti; Design: Tuut.

BRINCAR
SABERES DO VALE

Na dimensão do Brincar, a invenção e construção do brinquedo é, em si, a própria brincadeira, que conta com uma boa dose de criatividade, ludicidade e imaginação. Os brinquedos se tornam símbolos de um saber-fazer capaz de encantar e de revelar a riqueza cultural da região do Vale do Paraíba!

Documentar, divulgar e estimular saberes e fazeres do Vale do Paraíba: esse foi o objetivo do projeto Saberes do Vale: Cultura e Educação no Vale do Paraíba, iniciativa da Fotocontexto e da Tomara! Educação e Cultura, que reúne vídeos, fotos e depoimentos sobre diferentes expressões culturais da região. O projeto contou com incentivo do Proac e patrocínio da EDP Brasil.

Brincar: Saberes do Vale, 2017. Concepção e execução: fotocontexto - foto vídeo convergência / tomara! educação e cultura. Direção: Eduardo Barcellos / Rudá K. Andrade; fotografia:  Eduardo Barcellos, Daniel Tancredi, Gui Tamburus; Pesquisa: Rudá K. Andrade / Guilherme Lopes; Edição: Matias Lancetti; Assistente de edição: Paola Penna; Trilha sonora: Caco Farias; Produção: Zeca Ros / Raul Cavalcanti; Design: Tuut

CARRO DE BOI
CANTIGAS SOB A SOMBRA DO ITAMBÉ

Carro de Boi é um documentário que aborda as práticas e tradições que sustentam o que sobrou do transito dos Carros de Boi, ainda hoje, sob o rechaço do progresso, burocracias judiciárias e responsabilidades sócio ambientais na pequena comunidade remanescente quilombola do Capivari – Serro – MG.

Com aproximadamente 2000 metros, o desfiladeiro do Itambé faz referencia ao abismo das diferenças entre a modernidade e tradição. Assim como o majestoso Itambé representa o embate entre a civilização e o cerrado, é no encontro barroco onde as misturas somam diferenças.

Carro de Boi - Cantigas sob a Sombra do Itambé 2008, 37 min. Documentário realizado em parceria com o ponto de cultura de Milho Verde - MG. Direção, fotografia e montagem: Rudá K. Andrade Depoentes: Golnçalo da Cunha João Lino Rosa Zé da Cunha Argumento: Raphael Guimarães Varela Rudá K. Andrade Finalização: Felippe F. Brauer Produção de Campo: Raphael Guimarães Varela Músicos: Dente Elias Matni Mark Ribeiro Raphael Guimarães Varela.

PARA SEU AMOR, ROSA