cultura à mostra
Curadoria

Encontros, deslocamentos, aproximações.      Novas narrativas por formas diversas.

Seja por meio da reunião de obras, documentos ou elementos cenográficos, é a experiência de vida que molda uma narrativa. É a partir da experiência do concreto que se constrói a imaginação, a reflexão e as histórias. E o papel do curador se ressalva aqui em evidenciar fragmentos diversos e articular o contar da História diante das necessidades e urgências definidas pelo seu agora. Nesta perspectiva, uma exposição, mostra ou obra deve trocar experiências, transmitir vivências, conhecimentos e sabedoria. Proporcionar reflexões, fomentar a troca de experiência ativadores da construção de uma sociedade mais igualitária e diversa.

10645097_891078650922020_2606335159244056108_n.jpg

Setembro - novembro de 2014

O Espaço de Leitura tem a honra de apresentar uma grande descoberta que amplia os horizontes sobre os estudos sacizísticos.


No porão de uma casa do Parque da Água Branca, foram encontradas centenas de espécies de sacys engarrafados, além de um inventário e um testamento, comprovados como de autoria do professor Martins de Sá Sylva Pereira.
 

Esta coleção inédita revela a diversidade de sacys e apresenta uma grande e profunda pesquisa sobre os comportamentos, incidências, hábitos alimentares e culturais sacyzísticos.


Nesta exposição, é possível consultar a pesquisa do Colecionador de Sacys, observar as garrafas e, com um pouco de sorte, até enxergar alguns sacys.

Somos todos Antropófagos

 

Comemorações dos 80 Anos na Cidade de Santos

No ano de 2002 quando a Semana completava seu octogésimo aniversário. Somos Todos Antropófagos realizou uma série de atividades que se complementaram entre si, tornando possível a criação de vínculos mais profundos entre a arte moderna da década de 20 - suas significações artísticas, históricas e sociais – e a cidade de Santos.

 

Por meio do suporte das oficinas culturais foram abordados os movimentos modernistas no Brasil, alcançando maior interatividade com a comunidade, visando um contato mais substancioso entre a arte produzida em outros tempos com o presente.

 

Para apresentar e questionar o universo simbólico modernista junto à comunidade santista foram realizadas oficinas de dança, teatro, cinema, vídeo e quadrinhos; ciclo de palestras; mostras audiovisuais, exposições artísticas, apresentação musicais que articularam uma série de artistas e intelectuais, como Arrigo Barnabé, Zé Celso, José Miguel Wisnik, Telê Ancona Lopes, Marcelo Taz, Helena Katz, A barca, e tantos outros.  

  

O evento foi promovido pelo Departamento de Formação Cultural da Secretaria do Estado da Cultura contou com a participação da Oficina Cultural Pagu, do Sesc Santos e do apoio da Universidade Santa Cecília. Organização e planejamento Nau Assessoria e Produções Culturais.

cartaz_Somos_Todos_Antropófagos.jpg